Central de Cinema

Metrô recoloca Curitiba no circuito de festivais de cinema universitário

De hoje até dia 15, Curitiba recebe o 1º Metrô – Festival do Cinema Universitário Brasileiro. Evento recoloca a capital na rota dos festivais universitários abrangentes.

22 anos atrás, quando o Brasil viveu o início da “retomada’ do cinema nacional, o país contava com apenas três cursos de cinema e audiovisual ativos. Os cursos da Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade de São Paulo (USP) e Fundação Armando Álvares Penteado (Faap) eram os responsáveis por formar as novas gerações de cineastas brasileiros, ao passo que mantinham a concentração desta formação nas duas principais cidades do país.

É muito importante pensar o cinema para além dos filmes, e neste contexto são os cursos universitários os responsáveis por manter viva a formação dos profissionais que alimentam a produção regular de filmes. Hoje, o panorama é bem diferente do início da retomada: são mais de oitenta cursos distribuídos por todas as regiões do Brasil, tanto públicas quanto privadas, segundo dados do Fórum Brasileiro de Cinema (Forcine) de 2016. Fica evidente como o cinema dentro das instituições de ensino superior mudou de patamar, impulsionado também pela reconfiguração da produção cinematográfica nas últimas duas décadas.

Órfã de eventos do gênero desde 2010, com o fim do Putz – Festival Universitário de Cinema e Vídeo de Curitiba, Curitiba passa a contar novamente com um festival universitário abrangente – O Fidé Brasil, ainda na ativa, tem perfil voltado apenas à exibição de documentários; a quarta edição do festival ocorre ainda este ano. Começa hoje e vai até o próximo dia 15 na Cinemateca de Curitiba o Metrô – Festival do Cinema Universitário Brasileiro.

Foram 427 inscrições vindas de todas as regiões do país ao longo de dois meses. Destes, a produção escolheu 47 obras, sendo 19 delas para exibição na Mostra Competitiva e 29 na Mostra Paralela. “Nós esperávamos uma quantidade bem menor de inscritos, já que é a nossa primeira edição”, afirmou o surpreso Christopher Faust, diretor do Metrô.

Foram 427 inscrições vindas de todas as regiões do país ao longo de dois meses. Destes, a produção escolheu 47 obras, sendo 19 delas para exibição na Mostra Competitiva e 29 na Mostra Paralela.

Para Wellington Sari, diretor artístico do festival e um dos responsáveis pelo processo curatorial, criar uma identidade para o Metrô sem estar no caminho dos filmes foi o grande desafio da organização. “Pensamos em não chamar muito a atenção para a curadoria, amarrando a seleção dos filmes com conceitos muito restritivos, ligados a tendências, seja qual forem”. Apostar na liberdade criativa e estética também foi uma das saídas para evitar uma seleção de filmes com cara de “filme de festival”. “O interessante no cinema universitário é justamente a liberdade”, apontou.

Fazem parte da programação, ainda, o Metrô Lab, espaço para desenvolvimento de curtas e interação entre universitários com projetos e profissionais; a sessão Estação Retrospectiva, com a exibição em 35mm de Copacabana Me Engana, de Antonio Carlos da Fontoura, um drama urbano que é até hoje um marco no cinema nacional; Estação Putz e Estação Fbcu/Sal Grosso, que prestam homenagens a outros dois festivais universitários de tradição. A programação completa do Metrô – Festival do Cinema Universitário Brasileiro é gratuita.

Lista das obras selecionadas

MOSTRA COMPETITIVA

Os Anos 3000 Eram Feitos de Lixo (Niterói/RJ), de Ana All, Luana Rosa, Ana Elisa Alves, Clara Chroma, Cleyton Xavier e Eduardo Sa Cin
FIC – 2016 – 14’ – UFF/Cinema e Audiovisual
O Arco do Medo (São Félix/BA), de Juan Rodrigues
EXP – 2017 – 9’ – UFRB/Cinema e Audiovisual
Boa Noite, Charles (Rio de Janeiro/RJ), de Irmãos Carvalho
ANI/DOC – 2016 – 19’ – PUC-Rio/Cinema
Desconforto Entre os Dedos (Curitiba/PR), de Thayana Andreatta, Higor Casagrande e Pedro Monte Kling
EXP/DOC – 2017 – 17’ – FAP-UNESPAR/Cinema e Audiovisual
O Elo Perdido (Natal/RN), de Sidenei Santos, Seo Cruz, Julio Cesar e Elson Fernandes
DOC – 2016 – 7’ – UNP/Produção Audiovisual
A Eterna Reforma (Belo Horizonte/MG), de Bruno Sanábio e Manuella Guerra
FIC – 2017 – 12’ – UNA/Cinema e Audiovisual
JAIZ (Niterói/RJ), de Sofócles Bolovwskxky e Cleyton Xavier
FIC – 2017 – 18’ – UFF/Cinema e Audiovisual
Janaína Overdrive (Fortaleza/CE), de Mozart Freire
FIC – 2016 – 19’ – UFC-Vila das Artes/Audiovisual
José Baleia (Contagem/MG), de Julio Cruz
FIC – 2015 – 24’ – UNA/Cinema e Audiovisual
Mercadoria (Rio de Janeiro/RJ), de Carla Villa-Lobos
DOC – 2017 – 15’ – UFRJ/Radialismo
Meu Deus, Meu Dedo! (Rio de Janeiro/RJ), de Pedro Dias Lemos
FIC – 2016 – 12’ – UFRJ/Radialismo
Mira (Curitiba/PR), de Janaina da Veiga
ANI – 2017 – 8’ – FAP-UNESPAR/Cinema e Audiovisual
Não Falo com Estranhos (Salvador/BA), de Klaus Hastenreiter
FIC – 2017 – 17’ – UFBA/Artes Cênicas
Não Olhe Agora (São Carlos/SP), de Clau Fragelli e Matheus Borba
FIC – 2017 – 17’ – UFSCAR/Imagem e Som
Pequenos Animais sem Dono (Rio de Janeiro/RJ), de Maju de Paiva
FIC – 2016 – 13’ – UFF/Cinema e Audiovisual
Perambulação (Goiânia/GO), de Samuel Peregrino
FIC – 2017 – 12’ – UEG/Cinema
A Porta (Teotônio Vilela/AL), de Robson Cavalcante e Claudemir Silva
FIC – 2017 – 19’ – UFAL/Física
Pulso (Curitiba/PR), de Felipe Aufiero Fonseca
FIC – 2016 – 15’ – FAP-UNESPAR/Cinema e Audiovisual
15 Graus Lá Fora (Rio de Janeiro/RJ), de Francisco Barbosa
FIC – 2016 – 14’ – PUC-Rio/Cinema

MOSTRA PARALELA

Ainda Mais Ainda (Recife/PE), de Marina Anderi
FIC – 2016 – 7’ – UFPE/Cinema e Audiovisual
Além das Estrelas (São Carlos/SP), de Larissa Gonzalez
ANI – 2017 – 16’ – UFSCAR/Imagem e Som
Ansiedade (Florianópolis/SC), de Bernardo Schmitt, Bruno Kohler, Mayron Moreira e Leonardo Pinheiro
EXP – 2017 – 5’ – UFSC/Cinema
Aquém dos Muros (João Pessoa/PB), de Jailson Barros
FIC – 2017 – 20’ – UFPB/Cinema e Audiovisual
Beldurra (Curitiba/PR), de Marcelo Mallmann
FIC – 2017 – 8’ – HFA/Cinema
CAMPOCONTRACAMPO (Curitiba/PR), de Nathalia Cavalcante
DOC – 2016 – 15’ – FAP-UNESPAR/Cinema e Audiovisual
Chegamos Antes (São Carlos/SP), de Cainã Tavares
FIC – 2014 – 17’ – UFSCAR/Imagem e Som
Ferradura (Curitiba/PR), de Bea Gerolin
DOC – 2017 – 10’ – FAP-UNESPAR/Cinema e Audiovisual
Flor de Larangeira (Curitiba/PR), de Michel Urânia
DOC – 2017 – 15’ – UTP/Rádio e Tv
Imaterial (Natal/RN), de Davi Revoredo
FIC – 2016 – 6’ – UFRN/Radialismo
Lambari (Niterói/RJ), de Rodrigo Freitas
DOC – 2016 – 15’ – UFF/Cinema
Luiza (Curitiba/PR), de Caio Baú
DOC – 2017 – 15’ – FAP-UNESPAR/Cinema e Audiovisual
Mi Abuela, Mi Sanación (Curitiba/PR), de Nicole Loiola e Kariny Martins
DOC – 2016 – 13’ – FAP-UNESPAR/Cinema e Audiovisual
Muito prazer, Gabriela (Rio de Janeiro/RJ), de Gabriela Gaia Meirelles
DOC – 2017 – 7’ – PUC-RIO/Cinema
Nei Xiu (Fortaleza/CE), de Tainá Magalhães Rocha
DOC – 2017 – 9’ – UNIFOR/Cinema e Audiovisual
Olhos de Vidro (São Paulo/SP), de Thaís Vila Nova Gomes
FIC – 2016 – 9’ – FAAP/Cinema
pequen_s atos de desaparecimento (Rio de Janeiro/RJ), de Thiago Gallego
DOC – 2016 – 20’ – PUC-Rio/Cinema
Piano Forte (Rio de Janeiro/RJ), de Anabela Roque
DOC – 2016 – 10’ – AIC-Rio/*
Por quantos mundos atravessamos? (Niterói/RJ), de Carlos Perrota, Maria Weickardt e Monica Klemz
DOC – 2016 – 8’ – AIC-Rio/Documentário
Quem 6 Conhecem (São Paulo/SP), de Vivian Guilhem
DOC – 2016 – 25’ – FAPCOM/Rádio, Tv e Internet
QUIM:ERA (Pelotas/RS), de Taíla Soliman
ANI – 2015 – 3’ – UFPEL/Cinema de Animação
Serenata (São Paulo/SP), de Dani Seabra
FIC – 2016 – 16’ – ECA-USP/Audiovisual
Sobre o Muro (São Carlos/SP), de Marcelo de Faria e Rafael Parreira
FIC – 2017 – 13’ – UFSCAR/Imagem e Som
Som de Papel (Recife/PE), de Larissa Reis e Victor Mauricio Borba
FIC – 2017 – 15’ – CTCD/Produção Audiovisual
Telescreen (Curitiba/PR), de Fernanda Tavares
EXP – 2017 – 3’ – FAP-UNESPAR/Cinema e Audiovisual
As Três (Porto Alegre/RS), de Elena Sassi
FIC – 2016 – 14’ – UNISINOS/Audiovisual
Um Dia é da Vida, o Outro da Morte (Salvador/BA), de Calebe Lopes
FIC – 2017 – 20’ – UFBA/Humanidades
Vazio do Lado de Fora (Rio de Janeiro/Rj), de Eduardo Brandão Pinto
FIC – 2017 – 22’ – UFF/Cinema

SERVIÇO | 1º Metrô – Festival do Cinema Universitário Brasileiro

Quando: de 11 a 15 de outubro de 2017;
Onde:
Cinemateca de Curitiba (R. Presidente Carlos Cavalcanti, 1174 – São Francisco) e Sesc da Esquina (R. Visc. do Rio Branco, 969 – Centro);
Quanto: Programação inteiramente gratuita;
Contato:
metrouniversitario@gmail.com;
Site e Facebook
: www.metrouniversitario.com.br / www.facebook.com.br/metrouniversitario.

link para a página do facebook do portal de jornalismo cultural a escotilha

Tags
Mostre mais

Alejandro Mercado

Alejandro Mercado é jornalista e publicitário, com pós-graduações em Comunicação e Sociedade e Multimeios. Foi coordenador adjunto da Coordenadoria Setorial de Comunicação da Secretaria de Cultura de Campinas entre 2005 e 2007, período no qual coproduziu o Unifest Rock, maior festival universitário de música da América Latina. Foi um dos idealizadores e coprodutor do Mopemuca, projeto voltado ao fomento da produção musical autoral no interior de São Paulo.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Close