Central de Cinema

Os 15 melhores filmes de 2017

Em um ano agitado na sétima arte, nossa equipe selecionou os 15 melhores filmes de 2017.

O ano se aproxima do fim e chegou a hora de olhar para trás. Não foi apenas nas salas de cinema, nos tapetes vermelhos ou nos festivais que o cinema viveu dias quentes. 2017 ficará marcado como um ano em que grandes figurões de Hollywood sucumbiram a inúmeras denúncias de assédio e abuso sexual. Também como o ano em que os homens cis brancos começaram a perder espaços, ainda ínfimos é verdade.

Mulher-Maravilha chega ao fim de 2017 como o mais visto do gênero neste ano; a Disney incluiu um personagem gay em A Bela e A Fera; no Oscar, Moonlight, um filme com atores negros e sob a temática gay, recebeu a estatueta de melhor filme, enquanto Mahershala Ali e Viola Davis levaram para casa prêmios em categorias de atuação, uma situação bem distinta da ocorrida um ano antes, quando nenhum ator negro sequer havia sido indicado por suas atuações. E o cinema de horror que ganhou novo frescor com Corra!, longa de Jordan Peele que fez da tensão racial sua temática e tem chances de receber indicações para a próxima edição da festa do cinema norte-americano.

Já no Brasil, que vive uma tensão político-social latente anterior ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, mas que se agravou desde então, 2017 também viveu um momento de fortes críticas, boicotes, além de alguns fracassoscom destaque ao enfraquecimento das comédias, outrora apostas certeiras no cinema nacional.

Sem mais delongas, vamos aos 15 melhores filmes de 2017.

 

 

 

 

 

 

link para a página do facebook do portal de jornalismo cultural a escotilha

Tags

Escotilha - O Jornal da Cultura

A Escotilha é um portal de jornalismo cultural que tem como proposta fazer uma leitura mais reflexiva e abrangente das manifestações culturais que nos circundam. Pretendemos que os textos aqui estimulem nossos leitores a acessar a cultura para além do mero consumo dos produtos – ou seja, a proposta é que os textos ofereçam ao público novas “camadas” de fruição que ele não teria apenas consumindo a obra.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Close