Vale um Like

‘Viva a Diferença’ vai deixar saudade

A temporada de ‘Malhação’, escrita por Cao Hamburger, encerrou sua trajetória no dia 5 de março e já é um marco na história recente da teledramaturgia brasileira.

Na estreia da coluna “Vale um Like” no portal A Escotilha, no dia 3 de maio de 2017, adiantei novidades sobre Malhação: Viva a Diferença, temporada com texto de Cao Hamburger e que provocou uma reviravolta na história de mais de duas décadas da novela adolescente da Rede Globo. Dez meses depois, a trama, que teve seu último capítulo exibido em 5 de março, tornou-se um marco da teledramaturgia brasileira.

Sucesso de crítica e audiência, Malhação: Viva a Diferença reinventou o folhetim jovem da maior emissora de tevê aberta do país. Além de levar a novela para São Paulo, Cao Hamburger, responsável por projetos brilhantes como Castelo Rá-Tim-Bum, criou personagens marcantes e explorou temas importantes sem cair em fórmulas manjadas ou estereotipadas do universo infantojuvenil.

Com 5 protagonistas fortes, Viva a Diferença abordou questões urgentes, como o racismo, homossexualidade e a desigualdade social, e respeitou a inteligência do público-alvo. Maior audiência de Malhação desde 2009, a história também repercutiu positivamente nas redes sociais. A trilha sonora, com direito à participação da cantora curitibana Karol Conka (“Bate a Poeira”) no tema de abertura, é outro destaque da trama.

Com foco também em importantes temáticas ligadas à educação, a trama reforçou ainda a robustez da amizade e a importância da família. Em tempos de isolamento social, provocado pelo boom das ferramentas tecnológicas, as “five” – Keyla (Gabriela Medvedovski), Benê (Daphne Bozaski), Tina (Ana Hikari), Lica (Manoela Aliperti) e Ellen (Heslaine Vieira) – mostraram como a interação é necessária, sobretudo no que diz respeito às tão alardeadas “diferenças”.

Com 5 protagonistas fortes, ‘Viva a Diferença’ explorou questões urgentes, como o racismo, homossexualidade e a desigualdade social, e respeitou a inteligência do público-alvo. Maior audiência de ‘Malhação’ desde 2009, a história também repercutiu positivamente nas redes sociais.

Por falar nas protagonistas, faz-se necessário um elogio merecido ao quinteto. Cada uma delas, a seu modo, conquistou os espectadores. Daphne Bozaski, que concedeu entrevista a esta coluna, encantou o país com sua doce e sensível Benê.

Diagnosticada com Síndrome de Asperger, transtorno do espectro autista que afeta a capacidade de se socializar e se comunicar com eficiência, Benê foi um dos grandes destaques da temporada. Sua relação com Guto, interpretado por Bruno Gadiol, fisgou a audiência e o casal “Gunê” se tornou popular na rede (clique aqui e confira uma cena emocionante do casal na reta final da trama).

Com texto e direção em perfeita sintonia, Viva a Diferença chegou a ser apontada por alguns críticos como a melhor novela em exibição entre 2017/2018. Para Vidas Brasileiras, temporada de Malhação que estreia nesta quarta, dia 7 de março, fica o desafio de manter o patamar de qualidade entregue por Cao Hamburger e sua equipe.

A grande lição que Viva a Diferença deixa é simples: vale a pena, sim, investir em programas de qualidade para o público infantojuvenil. Subestimar o poder de engajamento e mobilização dessa fatia da audiência é um erro estratégico sem precedentes. Fica a dica…

Ouça a trilha sonora de ‘Malhação: Viva a Diferença’ no Spotify

link para a página do facebook do portal de jornalismo cultural a escotilha

Tags

Cristiano Freitas

Cristiano Luiz Freitas é jornalista, roteirista e produtor cultural com quase 20 anos de experiência em projetos voltados aos públicos infantojuvenil e jovem. Com passagens pela Gazeta do Povo e Grupo RIC, atualmente desenvolve ações em comunicação para o Complexo Pequeno Príncipe. Em seu currículo, constam importantes premiações como o Grande Prêmio Ayrton Senna de Jornalismo.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Close