Paulo Camargo

Um toque

“Cara, se toca! O mundo não gira em torno de você!” Quem nunca teve vontade de segurar no braço de…

Quando eu descobri o futuro

O longa-metragem 2001– Uma Odisséia no Espaço (1968), que completa meio século de lançamento, contém, talvez, o mais intrigante –…

Os nós se desatam

Os nós se desatam. Às vezes nem é preciso fazer força. A vida faz o serviço. Porque ela é ladina,…

Na pátria inventada

Na pátria inventada, a princesa herdeira de altas patentes das Forças Armadas diz militar pelas causas progressistas, autoproclama-se socialista, mas…

As vozes nas ruas

Vozes ecoam à distância. Uma maré sonora invisível chega até os ouvidos, mas é quase impossível saber o que elas…

Flor minúscula

Uma orquídea tão minúscula que parece inventada. Um pingo ínfimo de tinta que surge como um desafio aos olhos mais…

Carta para o infinito

Escrevo-te uma carta. Busco, talvez ingenuamente, alcançar-te em teu silêncio como quem pede licença. Quero falar-te sobre o que anda…

Não aponte o dedo!

Isso, aponte o dedo! Julgue e sentencie! O mundo vai ficar tão mais simples, menos desafiador, se você ir logo…

Desilusão

O que fazer quando uma utopia se estilhaça? Essa pergunta ecoa, incomoda, na insistência deliberada em não mais se discutir…

Para não esquecer Dandara

Sábado de Aleluia. Curitiba amanheceu cinzenta, com cara de poucos amigos. O céu anunciava chuvas. Nenhuma novidade para quem viu…
Close