Radar

Anselmo Ralph é uma forma de conhecer Angola

Músico angolano Anselmo Ralph é sucesso em seu país e em Portugal, cantando o amor em uma mistura de R&B, kizomba e hip hop.

A canção “Não Me Toca”, interpretada pelo sertanejo Zé Felipe com a participação de Ludmilla, atingiu o topo das paradas no Brasil. Mas a história da música que impulsionou o primeiro álbum do cantor brasileiro começa no já distante 2012. A faixa é regravação do cantor angolano Anselmo Ralph, um dos principais nomes da música romântica em língua portuguesa.

Nascido em Luanda, Anselmo viveu durante parte da adolescência em Madrid, na Espanha, além de ter se formado em contabilidade nos Estados Unidos. Estas experiências foram fundamentais à sua construção de artista, em especial a norte-americana. Se na Espanha ele descobriu o amor pela música, na terra do Tio Sam o angolano entrou em contato com a obra do dominicano Juan Luis Guerra (o compositor da canção “Borbulhas de Amor”, traduzida por Ferreira Gullar e eternizada no imaginário brasileiro pelo cantor Fagner) e fez parte do NGB (New Generation Band), com quem gravou um disco.

Tendo passado no início de outubro novamente pelo Brasil, em um show que contou com a presença de Alexandre Pires, Zé Felipe, Ludmilla, entre outros, Anselmo Ralph também vai, aos poucos, adentrando corações e ouvidos do público brasileiro, trazendo nuances de R&B, kizomba e hip hop à sua proposta de música romântica.

Casado e pai de dois filhos, Anselmo é dono de uma voz aveludada que mescla delicadeza e potência, preenchendo as canções que o alçaram à fama em seu país, mas também em Portugal e toda Europa. Dono de uma doença progressiva e sem cura, a miastenia grave, diagnosticada quando o músico tinha apenas cinco anos de idade, Anselmo Ralph encontrou na esposa a força para a vida e para a carreira. Não é raro o cantor, que também é um dos técnicos do The Voice Portugal, afirmar que é na esposa em quem busca inspiração.

Seu olhar ao amor, um mergulho nos relacionamentos alheios e no próprio – Ralph assina as letras das canções que interpreta –, tem uma característica muito própria. O angolano transita com facilidade por letras que versão sobre o amor em diversas etapas ou sob diferentes óticas, conseguindo encontrar eco em diferentes públicos. Afinal, quem não tem uma canção de amor, ao menos, que represente algo sobre um momento de sua vida?

O angolano transita com facilidade por letras que versão sobre o amor em diversas etapas ou sob diferentes óticas.

Todo o sucesso que Anselmo Ralph ostenta poderia não ser realidade, não fossem as ironias da vida. Em uma edição da versão portuguesa do reality show Big Brother, o músico se apresentou após uma das concorrentes solicitar sua presença. A audiência do programa foi importante em catapultar a carreira do artista, que anteriormente havia solicitado a retirada da faixa “Não Me Toca” de A Dor do Cupido (2013), quarto álbum de estúdio do músico, justamente a responsável por fazê-lo se tornar um fenômeno nacional.

Na última turnê pelo Brasil, quando chegou a ser entrevistado no The Noite, no SBT (assista acima), mostrou seus grandes sucessos, mas também serviu para apresentar ao público brasileiro as canções de seu disco mais recente, O Amor É Cego, de 2016. Na bagagem, além deste e do disco de 2013, estão Histórias de Amor (2006), As Últimas Histórias de Amor (2007) e O Cupido (2009). Além disso, prêmios e reconhecimentos estão entre as glórias obtidas por Anselmo Ralph, incluindo um MTV EMA de melhor artista africano na edição de 2006.

Se nada disso é suficiente para o exigente leitor se interessar em descobrir o que a mistura de kizomba e R&B pode oferecer, vale a menção que o craque Cristiano Ronaldo é fã assumido do cantor – e, principalmente, que é uma maneira contemporânea e interessante de descobrir a música feita neste país tão incrível que é a Angola.

NO RADAR | Anselmo Ralph

Onde: Luanda, Angola.
Quando: 2004.
Contatos: Facebook | YouTube | Instagram | Twitter

link para a página do facebook do portal de jornalismo cultural a escotilha

Tags
Mostre mais

Alejandro Mercado

Alejandro Mercado é jornalista e publicitário, com pós-graduações em Comunicação e Sociedade e Multimeios. Foi coordenador adjunto da Coordenadoria Setorial de Comunicação da Secretaria de Cultura de Campinas entre 2005 e 2007, período no qual coproduziu o Unifest Rock, maior festival universitário de música da América Latina. Foi um dos idealizadores e coprodutor do Mopemuca, projeto voltado ao fomento da produção musical autoral no interior de São Paulo.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Close