Radar

O encontro encantador de Alejandro y María Laura

Dos mais talentosos trabalhos da cena musical peruana, Alejandro y María Laura fazem folk-pop delicado e encantador.

Talvez, nunca um encontro na faculdade tenha resultado em algo tão belo quanto o duo de folk-pop peruano Alejandro y María Laura. Ao longo de 8 anos de carreira, três discos foram entregues, o mais recente deles lançado este ano, chamado La Casa No Existe. Antes dele, Paracaídas (2011) e Fiesta Para Los Muertos (2013) tiveram importância fundamental na gênese do que hoje podemos conhecer como um dos mais talentosos trabalhos da cena peruana da atualidade.

Antes de se tornarem um duo, Alejandro era vocalista e guitarrista de uma banda de rock progressivo, enquanto María Laura estudava teatro e participava de um projeto de jazz. Alejandro y María Laura trafegam por diferentes sensações em cada uma de suas obras. Do romance com lirismo adolescente e recheado de experimentalismo de Paracaídas, para o épico de Fiesta Para Los Muertos, eles nos trazem ao etéreo e impressionista La Casa No Existe. O álbum não está focado em um personagem, tampouco tem a pretensão de estabelecer uma narrativa. Por sinal, há muitas lacunas no registro, deixados propositalmente.

Sem cacofonia, La Casa No Existe une com maestria e encanto cumbia, música andina, folk e até elementos psicodélicos, dando um ar regional e ao mesmo tempo universal às composições de Alejandro y María Laura.

Nestes caminhos distintos oferecidos pela dupla em cada um de seus registros, também entramos em contato com recortes muito particulares da vida da dupla, que ainda por cima é um casal. Com cada um dos LPs, o duo deixa marcando um momento muito íntimo de suas vidas, sem que para isso estejam fechados dentro da estética da proposta folk do grupo – um bom exemplo são as participações da peruana La Lá, dos argentinos (ainda que com um uruguaio e um brasileiro no conjunto) Perotá Chingò e mesmo do brasileiríssimo Paulinho Moska – dá até para dizer que os Beatles, uma das influências em comum da dupla, também dão o ar da graça. Some a isso a produção a cargo do plural Juanito, que já produziu artistas como a insaciável Miss Bolivia e o cantor folk Emilio Cardone.

Sem cacofonia, La Casa No Existe une com maestria e encanto cumbia, música andina, folk e até elementos psicodélicos, dando um ar regional e ao mesmo tempo universal às composições de Alejandro y María Laura. O apreço e a delicadeza com que os dois enxergam a música enquanto arte perpassa todo o viés marqueteiro com que outros tantos grupos preenchem suas canções. Ou seja, não estamos diante de mais um projeto em que a efemeridade dá a tônica – o que não significa, é claro, dizer que chegar aos ouvidos do público não é objetivo deles. A questão é fazer isso dando ênfase à música, à forma como compõem. A se acompanhar (e ouvir) bem de perto.

NO RADAR | Alejandro y María Laura

Onde: Lima, Peru.
Quando: 2009.
Contatos: Facebook | TwitterYouTube | Website

Ouça ‘La Casa No Existe’ na íntegra no Spotify

link para a página do facebook do portal de jornalismo cultural a escotilha

Tags
Mostre mais

Alejandro Mercado

Alejandro Mercado é jornalista e publicitário, com pós-graduações em Comunicação e Sociedade e Multimeios. Foi coordenador adjunto da Coordenadoria Setorial de Comunicação da Secretaria de Cultura de Campinas entre 2005 e 2007, período no qual coproduziu o Unifest Rock, maior festival universitário de música da América Latina. Foi um dos idealizadores e coprodutor do Mopemuca, projeto voltado ao fomento da produção musical autoral no interior de São Paulo.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Close