COMPARTILHE
Performance na Calle Florida
Performance na Calle Florida. Foto: Reprodução.

Cotidianamente, assumimos vários papéis sociais sem perceber que estamos em um personagem vivenciando nossa colocação de ser humano em uma sociedade. Estabelecemos modos diferentes em determinados ambientes que exigem comportamentos diferenciados ao lugar onde estamos inseridos, fazendo com que tenhamos uma mudança sem nos dar conta de que isso pode ser uma representação ou uma performance em meio ao cotidiano. Está tudo ligado a uma representação, onde o cenário pode ser visto a partir de uma rede invisível na qual nos movimentamos.

A visualização dessa atuação pode ser compreendida a partir do som, da luz natural que invade nossa retina, no caminhar que nos leva a algum lugar para descobrirmos o impossível presente nos dias. Quando nos colocamos a certa vivência, estamos criando possibilidades de demonstrar situações que esse modo de vida pode vir a ser, copiando os padrões e reconfigurando o modelo a partir de nossa posição enquanto personagem real existente no mundo.

Na situação da vida real, nossas ações são espontâneas, vem de dentro e participamos com a naturalidade do processo real da qual vivemos.

A forma como articulamos essa apresentação vem da vontade presente que surge no tempo-espaço onde o ato é executado com a naturalidade dos fatos que estão em volta da nossa percepção e posicionamento no ambiente social. Movendo também a interação e reação com outros seres que transitam no local de passagem da nossa trajetória ou performance na qual agimos tentando provocar outra interferência no sentido real da vida.

Nossa posição enquanto indivíduo na sociedade se destaca na realidade, podendo ser colocada no teatro como representação, nos levando a refletir sobre as duas possibilidades de atuação: real/ficção. Na situação da vida real, nossas ações são espontâneas, vêm de dentro e participamos com a naturalidade do processo real da qual vivemos. Nela, refletimos sobre as nossas atitudes para nosso crescimento e amadurecimento enquanto seres humanos. Diferente de uma reflexão de análise performática das nossas atitudes para o desempenho do mesmo, onde passamos a compreender cada movimento que colocamos a partir de nosso pensamento.

O registro de todas as coisas em volta da nossa presença está registrado na memória, é ela que direciona nossos movimentos em certa situação, tendo o raciocínio das coisas que acontecem e podendo modificar o fluxo da transição no tempo presente da vida real a qual o mundo desenvolve. Vai da intenção do artista modificar o comportamento da presença dos acontecimentos sociais.

A reflexão dos nossos comportamentos exige que mudemos para nos adaptarmos socialmente, nos enquadrando aos padrões pertencentes na história cultural de nossa civilização. Mas será que toda vez que refletimos sobre nossas atitudes estamos realizando uma performance ou será só uma possibilidade? Dependendo da atitude, a questão fica mais clara para ser respondida e analisarmos.

link para a página do facebook do portal de jornalismo cultural a escotilha

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA